08/10/2019 10h39

Leviatã II: mais cinco prisões são realizadas e total sobe para 39

Mais cinco prisões, realizadas entre domingo e segunda-feira, aumentam para 39 o total de pessoas detidas durante incursões da Operação Leviatã II, deflagrada na quarta-feira passada. Todos os detidos fazem parte de organizações criminosas atuantes no Bairro da Penha, em Vitória, e tinham mandados de prisão em aberto.

Segundo levantamentos conjuntos da Polícia Civil e do setor de inteligência da Secretaria de Segurança Pública (Sesp), alguns dos alvos da operação conseguiram fugir do Bairro da Penha durante as buscas na última quarta-feira. Quatro desses fugitivos foram capturados durante um cerco tático realizado em Piúma, no sul do Estado, em uma ação conjunta, no último domingo (06). O resultado foi apresentado em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (07).

Participaram da operação o Departamento Especializado de Narcóticos (Denarc), com o apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Militar (PM), Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas (Nuroc) e Núcleo de Operações e Transporte Aéreo (NOTAer).

“Foi descoberto que elementos capixabas estavam no Rio de Janeiro em dois veículos de locadoras e um desses veículos teria fugido de uma abordagem da Polícia Militar lá no Rio, inclusive realizaram disparos de arma de fogo de uso restrito contra esta guarnição. O outro veículo foi abordado e encaminhado para a Delegacia, só que os elementos foram liberados. A partir desse momento, houve troca de informações e nós detectamos que eles poderiam voltar ao Espírito Santo”, relatou o chefe do Denarc, delegado Fabrício Dutra.

De posse das informações, as diversas forças policiais organizaram um cerco tático, no sul do Estado. Na localidade de Safra, dois veículos suspeitos passaram por um ponto de observação da PRF.

“Um dos carros vinha à frente, como batedor, e essa pessoa avisou aos ocupantes do outro veículo que havia um ponto de fiscalização no posto da PRF. Esse segundo carro entrou no município de Piúma. Nós reunimos informações de inteligência e conseguimos achar a casa onde os indivíduos estavam escondidos”, explicou o superintendente da PRF/ES, inspetor Amarílio Boni.

Os suspeitos ainda tentaram fugir, invadindo imóveis e até pulando no manguezal. No entanto, foram alcançados. Os quatro detidos são considerados perigosos e membros importantes de organizações criminosas.

H.P.M., de 24 anos,  era considerado o segundo na linha de comando do tráfico de drogas no Bairro da Penha. Tinha mandados de prisão em aberto e passagens por homicídio, tráfico de drogas e porte ilegal de arma. J.F.B., de 19 anos, tinha mandados de prisão em aberto por homicídios e passagens por roubo, homicídio e posse irregular de arma, de quando ainda era menor de idade.

C.A.M.J., de 19 anos, era um dos braços armados da organização criminosa, considerado indivíduo de alta periculosidade, com passagens por homicídio e tráfico de drogas, e mandados de prisão em aberto. R.A.F.S., 19 anos, filho do traficante C. A.F.S., que se encontra preso, tem passagens por posse de drogas e de arma de uso restrito.  Ele foi preso em flagrante em 2017, no Bairro da Penha, com uma maleta contendo mais de R$ 20 mil e uma pistola, e fugiu do sistema prisional em agosto deste ano.

Prisão na segunda-feira

A prisão mais recente, relacionada à Operação Leviatã II, ocorreu nesta segunda-feira (07), no bairro Bonfim, em Vitória. A equipe da Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM) localizou e prendeu I.N.S., 22 anos. Contra ele havia mandado de prisão em aberto por tráfico de drogas.

“Nossa equipe esteve presente nas incursões de quarta-feira passada, em busca um dos alvos da operação. Naquele dia, ele não foi encontrado. No entanto, novas informações chegaram até nossa Delegacia e, na data de hoje, conseguimos cumprir o mandado de prisão que existia em aberto contra o suspeito”, detalhou a titular da DHPM, delegada Raffaella Almeida.

Outras prisões ainda podem ocorrer, já que existem mandados de prisão em aberto. O Disque-Denúncia 181 é a melhor forma da população auxiliar a polícia com informações que levem à prisão de criminosos ou pelo disquedenuncia181.es.gov.br, onde é possível anexar imagens e vídeos de ações criminosas. O anonimato é garantido e todas as informações são investigadas.

“Esse trabalho continua porque ainda há atores que precisam ser presos e a paz tem que voltar no local. Vamos fazer com que estas pessoas entendam que é o Estado que tem o poder de determinar as coisas, e não o estado paralelo. Enquanto isso perdurar, o Estado vai agir, no que tange à ação policial”, afirmou o delegado-geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda.

Assessoria de Comunicação Polícia Civil
Comunicação Interna
(27) 3137-9024
imprensa.pc@pc.es.gov.br

Atendimento à Imprensa:
Camila Ferreira
(27) 3636-9928 / (27) 99297-8693
Olga Samara
(27) 3636-1536 / (27) 99846-1111 
comunicapces@gmail.com

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard