11/09/2019 09h47 - Atualizado em 11/09/2019 14h35

DHPP de Vila Velha conclui inquérito e desarticula parte de associação criminosa do município

A vítima do homicídio, presidente de um clube de Futebol, não era o alvo dos atiradores.

A Polícia Civil por meio da Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) Vila Velha conclui as investigações que apuravam as sete tentativas homicídio e um homicídio consumado que vitimou Marcos André Marques, de 26 anos, presidente do Divino Futebol Clube. O crime aconteceu no dia 11 de maio, em um campo de futebol da Associação Nacional Esporte Clube, localizado atrás do Fórum de Vila Velha.  Um dos suspeitos foi detido e outros três foram identificados e se encontram foragidos.    

De acordo com o titular da DHPP de Vila Velha, Tarik Souki, após levantamentos e diligencias foi verificado que um dos suspeitos já se encontrava no sistema prisional. “O C.D.C., 22 anos, foi o responsável por fazer os primeiros disparos contra a vítima, ainda dentro do vestiário logo após ele ser expulso do jogo. Ele já se encontrava no sistema prisional por conta de um flagrante de tráfico e associação ao tráfico de drogas, em que a Polícia Militar o deteve no dia 14 de julho. Com ele foi apreendido 1.500 pedras de crack e 18 pedras de maconha”, explicou.

Os outros três suspeitos do crime, alvos de uma das operações, não foram localizados e encontram-se foragido. São eles: W.Z., 24 anos; R.D.O.J., 28 anos; e I.L.P.S, 20 anos.

"No dia do fato R.D.O.J. e I.L.P.S, auxiliaram o O C.D.C.  na emboscada com intuito de assassinar uma das vítimas da tentativa de homicídio, o jogador, 27 anos. Existia um quarto suspeito do crime, que não conseguimos comprovar que era um dos foragidos de nome W.Z., porem comprovamos que ele quem mandou executar o jogador.", contou.

De acordo com o delegado as investigações comprovaram que a vítima fatal, não era o alvo dos criminosos.

“Na ocasião indivíduos armados atacaram o alvo um jogador, e efetuaram vários disparos contra o time de várzea do bairro Dom João Batista. A vítima Marcos André, não era o alvo dos criminosos, e acabou morrendo próximo ao Hospital Santa Mônica”, disse.

Ainda de acordo com o delegado a motivação do crime está relacionada ao conflito do tráfico de drogas e da região de três bairros no município. " W.Z, mandante do crime, possuía uma inimizade com o jogador e o seu comparsa R.P.N., 36 anos, que se encontra no sistema prisional. O jogador estava proibido de ir para Boa Vista, já que pertenciam a narcotraficantes rivais, e ao saber que o jogador estaria jogando em Boa Vista, W.Z manda assassina-lo".

Dinâmica do crime

Um dos tiros atingiu a perna de Marcos André, que estava na arquibancada. Mesmo machucado, ele pegou o carro para ir ao hospital. Assustados, dois jogadores correram e entraram no carro de Marcos André.  O alvo dos disparos, na tentativa de fugir, também se jogou na janela para dentro do veículo e sentou no carona.

"Marcos seguiu para o Hospital, na Rodo Sol, mas foram seguidos pelos atiradores, que estavam no carro logo atrás. Marcos em uma tentativa desesperada avança o sinal, e atinge o carro de um professor. Sem controle ele atingiu um carro que estava estacionando na frente do Hospital", disse Tarik.

Ainda de acordo com o delegado as vítimas tentaram pedir socorro, mas assim que o veículo parou os suspeitos desceram do carro é efetuaram mais disparos. O jogador foi atingido com nove disparos e sobreviveu.

Outras apreensões

Nessa quinta-feira (05) na tentativa de capturar os três suspeitos foragidos no Morro do Jaburuna e prendeu em flagrante os irmãos, conhecidos como "gêmeos do Jaburuna", B.S.J. 19, e B.S.J., 19. Autuados em flagrante por tráfico de drogas e associação ao tráfico de drogas.

Com eles foram apreendidos 157 pinos de cocaína, 47 pedras de crack, 2 pedaços grandes de crack, 1 pedaço grande de maconha, 156 buchas de maconha e 136 pedaços maiores de maconha.

"Os irmãos trabalhavam para o R.D.O.J., que é quem comanda o Morro do Jaburuna" contou Tarik.

Após serem ouvidos pelo delegado plantonista da Delegacia Regional de Vila Velha, eles foram encaminhados ao Centro de Triagem de Viana.



Assessoria de Comunicação da Polícia Civil
Atendimento à Imprensa

Camila Ferreira. Tels: (27) 3636-9928 / (27) 99297-8693
Olga Samara. Tels: (27) 3636-1536 / (27) 99846-1111

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard