11/10/2018 12h26

Cães mais preparados para trabalhos da Segurança Pública no Espírito Santo

O secretário de Estado da Segurança Pública, Nylton Rodrigues, assinou nesta quarta-feira (10) a portaria que institui os protocolos mínimos para a regulamentação do emprego e certificação do cão e do condutor de Segurança Pública e de Defesa Social do Estado do Espírito Santo (SESP), em todo o território capixaba.

 
“Os cães maximizam a eficiência dos nossos trabalhos. Com essa portaria, estamos regulamentando a certificação dos cães e dos seus condutores. Isso é inédito no Brasil. Essa certificação vai exigir um treinamento mais qualificado para aprovar os cães e os seus condutores”, explicou o secretário Nylton Rodrigues.


 Os cães da Polícia Militar são preparados para atuar em atividades como detecção de narcóticos; busca e captura; e detecção de explosivos. Já os da Polícia Civil são direcionados para detecção de narcóticos; detecção de explosivos; e detecção de restos mortais humanos. E os cães do Corpo de Bombeiros, por sua vez, têm suas funções destinadas para resgate e detecção de acelerantes de incêndio. A formação do condutor e do animal será realizada por uma banca unida de todas as instituições e prega cada vez mais a integração, podendo os animais serem utilizados para operações direcionadas de um órgão específico, quando necessário.


A certificação será válida por dois anos a partir da data da publicação do resultado obtido pelo binômio (cão e condutor) inscrito no credenciamento.


Atualmente, os organismos de Segurança Pública do Espírito Santo contam com 50 cachorros para trabalhos, sendo 33 deles para a Polícia Militar; três para a Polícia Civil; e outros 14 para o Corpo de Bombeiros.


O tenente-coronel Leonardo Merigueti, do Corpo de Bombeiros e um dos especialistas no treinamento de cães especializados, informou que a primeira certificação em conjunto vai acontecer em dezembro.


Os animais que vão trabalhar em missões do Corpo de Bombeiros e das Polícias Civil e Militar devem ter idade mínima de 18 meses e, máxima, de 8 anos.

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard